expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

segunda-feira, julho 31, 2006

Entender meu vocabilário

Já diria Marisa Monte: “Procuro explicar o meu sentimento//E só consigo encontrar// Palavras que não existem no dicionário//Você podia entender meu vocabulário//Decifrar meus sinais, seria bom”.

Realmente seria bom, mas como posso cobrar de alguém decifrar meus sinais se nem eu mesma consigo explicar meus sentimentos? Ponderado que torna-se impossível, decidi-me por tentar me explicar e assim, quem sabe, me fazer entender.

“Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já ...
Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida ...
Saudade é sentir que existe o que não existe mais ...
Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam ...
Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.
E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter porquem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.
O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido...”

Saudade - Pablo Neruda

Nenhum comentário:

Posts Relacionados

Blog Widget by LinkWithin